Links misteriosos... - II

“A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás;
mas só pode ser vivida olhando-se para a frente”
SOREN KIERKEGAARD

Professor por vocação e ciente da importância e validade da utilização das novas tecnologias no ensino, decidi há cerca de dois meses iniciar, em parceria com o Abu Zadim (será que ele já melhorou do afitamento?), um curso à distância sobre o humor - "Como ficar vivo morrendo de rir" -, o qual rendeu seis crônicas e revelou para todos os nossos leitores o talento do Goiano. Infelizmente, a platéia se mostrou por demais tímida, revelando o quão prematuro era aquele intento.

Foi por isso que saiu de cena o professor de humor e entrou o de Filosofia. Não sei se a série que começou na semana passada será tão profícua como a anterior (se é que ela foi...), mas o que me interessa é, realmente, brincar um pouco com algumas das bolhas de sabão que insistem em colorir (e lavar) a minha mente.

O título da nova seqüência surgiu a partir de uma conversa com o Duju (o nosso editor-chefe), na qual ele me falava do acréscimo substancial dos visitantes do Pátio e da Crônica do Dia, pois, conforme ele já revelou, eu sou o estatístico desse site.

Por falar nisso, quero esclarecer a informação não verídica fornecida por ele, segundo a qual eu havia me negado a lhe dizer quantas crônicas ele já havia escrito, impedindo-o de escrever com mais afinco a sua 200a produção. Retruquei-lhe que se ele soubesse da quantidade atual, ele poderia, no afã de alcançar aquela gloriosa marca, começar a escrever de qualquer jeito, como a gente costuma fazer com certos trabalhos escolares quando a disposição e o interesse já foram cremados e as cinzas lançadas ao vento... Ademais, se ele estivesse realmente interessado em saber o número exato, ele poderia contá-las, uma por uma, adotando o mesmo procedimento utilizado por mim e que me consumiu várias horas. Um outro motivo foi a minha recusa em corroborar com a sua decisão de não fazer um índice cronológico das suas obras literárias. A última razão para a minha negativa em fornecer o ambicionado número é que eu não posso perder a chance de puxar o saco dele quando a sua ducentésima produção for colocada no ar, inclusive o meu discurso já está pronto! :-)

Ao analisarmos os dados estatísticos do corrente mês, ficamos surpresos com a elevação substancial das visitas diárias. A média até o 15o dia era de cerca de 80 leitores, desde então só cresceu: 100, 160, 220, 400, 700, 1000, ... No mês de janeiro, tivemos 2490 visitas e nenhuma crônica atingiu 100 leitores. Em fevereiro, as visitas caíram um pouco - 2444 -, porém 2 crônicas atingiram 100 leitores ou mais. Em março, para loucura do Eduardo e minha, já tivemos quase 10000 visitas e quase todas as crônicas tiveram, no mínimo, 100 leitores! Para aumentar o transe, as crônicas do Riso Cearense, de autoria deste humílimo escritor, estão na liderança!!! Concluímos, então, que somente um link misterioso poderia explicar a explosão daqueles dados.

Mais estranho do que essa estatística somente o fato de existir aqui um link para a crônica da próxima semana... (O riso cearense VII)

Paulo Barguil
29/03/2000

 
www.paulobarguil.pro.br