O riso cearense - VI (para um sorridente goiano)

"Mas, como hoje é a nossa última aula, vamos ter uma sessão completa de piadas..." (09.03.2000)

Eu bem que tentei encerrar na semana passada o curso virtual "Como ficar vivo morrendo de rir", mas o prezado Goiano, mui prestativamente, enviou-me mais um e-mail, no último sábado:

"Assunto: Você sabia?
Data: Wed, 11 Mar 1998 22:59:14 -0300
De: "Elvira Maria" <elviramaria@(sigilo).com.br>
Para: <paulomb@roadnet.com.br>

Prezado Bagulho, Braguilha ou seja lá o que o valha!

Atendendo ao seu inesperado apelo, já que ninguém nunca se abalou para responder a qualquer das milhares de cartas que mando para Caras, Bundas e o Escambau, inclusive (e especialmente), e pressentindo, por tênues sinais, o fato de vocês também terem sentido enorme emoção ao ver que, finalmente, alguém leu alguma de suas bobagens e perdeu tempo em comentá-las, venho - puto da vida por vocês terem botado o nome da minha mulher no meio daquela xaropada - dizer que posso até aceitar o convite, se entrar algum por fora e se minhas exigências forem todas atendidas:

Primeira: quero, além de 235 toalhas no meu camarim, que seja instalada uma duchinha no reservado;
Segunda: deve ser-me servido um chope sem colarinho de meia em meia hora (quem gosta de espuma é banheira de hidromassagem);
Terceira: cada vez que dirigir-me do aeroporto para a redação deve o percurso cercar-se da maior discrição, para evitar tumultos, dispensando-se, por isto, a colocação de tapetes vermelhos e o costumeiro protocolo;
Quarta, porém não a última (outras serão apresentadas a meu bel-prazer, a qualquer momento): por uma concessão de minha modéstia, o "Riso Cearense" passará a denominar-se "Riso Cearano" ou "Riso Goiarense", ao invés de "Riso Goiano";
Quinta: Levantem-se todos à minha entrada ou vão para a puta que pariu.

É pegar ou largar!

Goiano"

A despeito de termos comunicado ao distinto público a suspensão por tempo indeterminado das nossas atividades pedagógicas, achamos por bem, mais uma vez, permitir que os leitores fossem participados da resposta dirigida ao despretensioso e humilde colaborador:

"Prezado Sr. Natural do Estado de Goiás,

Surpresos ficamos ao receber mais uma adorável missiva eletrônica. Ainda relutamos em saber se o que mais nos surpreendeu foi o fato de alguém ter se sensibilizado com as nossas insistentes e desesperadas solicitações para que nos escrevessem (as quais foram inúteis, pois, com exceção de V. Sa., nenhum outro aluno se dignou a nos redigir qualquer mensagem...) ou se foi o conteúdo da sua (sempre) simpática correspondência.
A nossa exultação atingiu níveis quase orgasmáticos ao concluirmos que V. Sa. aceitou abrilhantar o nosso corpo docente, dignando-se a compartilhar vossos profundos e consistentes saberes construídos ao longo de uma profícua e vida com meros mortais, ainda ignorantes das riquezas presentes nos acontecimentos diários.
Acreditamos, sinceramente, que os pleitos elencados naquele comunicado são mais do que razoáveis, os quais ratificam a limpeza de vossa alma, ao contrário de nossos políticos que praticam com voracidade o caixa 2, na forma de percentual sobre os projetos aprovados.
É com coração partido (e a contragosto) que ratificamos que o nosso curso foi suspenso, sem qualquer perspectiva para retornar.
Esperamos que V. Sa. possa compreender que fatos supervenientes, completamente alheios à nossa vontade, impediram que aquele projeto tivesse continuidade.
Rogamos aos céus, por fim, que este lamentável incidente não tenha causado maiores transtornos na sua ultra solicitada agenda, sabedores que somos dos inúmeros compromissos profissionais que compõem o vosso cotidiano.
Ah, já íamos nos esquecendo: quando tiver tempo, mude o ano de vosso computador para 2000...
Abraços,

Paulo Barguil e Abu Zadim (recuperando-se do carnaval pernambucano)"

Concluo a nossa 2a despedida, com uma seleção enviada por aquele prestativo senhoril:

"VOCÊ SABIA que o maior anão do mundo é português, segundo o Livro de Recordes daquele país, e mede 1,90m?

VOCÊ SABIA que se o papel não tivesse sido inventado estaríamos hoje escrevendo em sabugos de milho?

VOCÊ SABIA que se não fosse a Lei de Newton os objetos cairíam para cima?

VOCÊ SABIA que em Portugal, além do xampu de ovo, existe o xampu de cabeça?

VOCÊ SABIA que na natureza nada se perde, exceto canetas e guarda-chuvas?

VOCÊ SABIA que a cidade de La Paz, na Bolívia, fica tão alta que os aviões têm que subir para descer?

VOCÊ SABIA que no Rio de Janeiro existe um faquir cearense tão sofisticado que só come vidro temperado?"

Paulo Barguil
15/03/2000

 
www.paulobarguil.pro.br