Que sacanagem!!!

Engana-se quem pensa que vou falar sobre a política ou o futebol brasileiro... Na verdade, estou indignado com o editor-chefe da Crônica do dia. Explico-lhe, a seguir, o motivo de tamanha revolta.

Convidado pelo nobre poeta (ele confessou recentemente que gosta de ser assim tratado...), sob a garantia de que não havia censura neste site, aceitei, a despeito de não ter um histórico escolar muito honroso em Português, o instigante convite para enviar as minhas produções literárias, as quais são desprovidas de qualquer certificado da família ISO 9000!

Por volta das 8 horas da manhã desta 2a feira, 27 de dezembro, ao mesmo tempo em que degustava, como 1a refeição, uma vitamina feita com três bananas médias e uma polpa de 100ml de maracujá, diverti-me com a supimpa crônica "Elas que são crônicas que se entendam", assinada por Eduardo Loureiro Jr.

Durante todo o dia, escrevi mentalmente uma resposta aos dois parágrafos iniciais da citada crônica, nos quais o autor fala que quem tivesse dificuldade em escrever toda semana que se manifestasse.

Você pode imaginar o meu susto e desespero ao descobrir, na minha visita noturna ao site, que o editor-chefe, sem mais nem menos, num total desrespeito ao leitor-escritor, cortou exatamente aqueles parágrafos que ensejaram aquela que seria a minha 39a produção?

Ou seja, o besta aqui gastou todo o dia pensando numa crônica que, constato agora, é geneticamente órfã, pois lhe foram extirpadas as matrizes geradoras da sua mãe.

Ilude-se quem pensa que ele restringiu suas maléficas ações àquele corte duplo. Não satisfeito, ele resolveu, ainda, amputar do texto o parágrafo final! :-(((

Imediatamente, fui invadido por uma profunda desconfiança, que sinto-me na obrigação de socializar: "Seria este apenas um ato falho ou circunstancial, ou ele seria um dentre inúmeros outros desmandos e desatinos cometidos pelo, até então, prestativo editor"?, "Que garantias eu (ou você) tenho (tem) de que as crônicas enviadas pelos outros colegas estão sendo publicadas na íntegra?".

É, pois, diante desses graves indícios de censura, algo inaceitável na conjuntura atual, que conclamo todos os colaboradores deste site a, com o intuito de moralizar e tornar mais claras as regras de conduta do editor-chefe, unirmos forças e instalarmos o quanto antes a CPI da Crônica do dia.

Abaixo a censura!

Paulo Barguil
27/12/1999

 
www.paulobarguil.pro.br