Agora ou nunca! (ou mais cedo... ou mais tarde... )

O juiz da 7ª Vara da Justiça Federal no Ceará, Luís Praxedes Vieira, concedeu hoje, 27 de outubro, liminar suspendendo o horário de verão no Ceará. Era a chance que eu precisava para falar sobre o assunto, pois não escrevi sobre o mesmo na época da sua implantação.

Ao contrário do Felipe, que o defendia, beneficiado pelo fato de poder dormir às 5 horas da manhã sem o sol bater na sua cútis facial, eu, por meu turno, sou favorável ao mesmo, pois tenho a oportunidade de permanecer na cama até as 6 da madruga, sem me preocupar em levantar da cama para baixar a cortina e barrar os coloridos (porém, mascarados de branco) raios oriundos da estrela-mãe do nosso sistema.

Se a liminar não for cassada, a medida nos privará de histórias interessantes, como a do pai de uma amiga que se negou a adiantar os relógios da sua casa, permanecendo os horários das refeições no antigo horário. O interessante é perceber a resistência das pessoas em se adaptar ao novo horário, que se manifesta quando elas combinam o encontro no horário novo ... e no velho. O fato de se continuar chegando atrasado, independentemente do horário que se segue, não vem ao caso! :-)))

Mas, a melhor de todas que ouvi até agora foi a do colega do Tribunal, Pompeu, que expressa bem o quanto gostamos de brincar com a vida. Na primeira semana do horário de verão, poucos minutos antes das 14 horas, ele olha para mim e pergunta:

– Quer dizer que agora vai dar duas na nova e uma na velha, é Paulinho?

Paulo Barguil
27/10/1999

 
www.paulobarguil.pro.br